Premonição: bruxaria, ciência… Como explicar?

2 Comentários

Estão todos dentro do avião. Aparentemente, o ambiente está tranqüilo, com os passageiros obedientemente sentados em suas respectivas poltronas. Inesperadamente, inicia-se uma turbulência no recinto e chamas alastram-se por toda a parte. Uma catástrofe eliminaria a energia vital de cada um dos que estavam ali. No entanto, ainda não havia acontecido. Dewon (Alex Browning), um adolescente, acorda de repente daquilo que parecia ser um intenso pesadelo. Logo depois, percebe que o seu sonho ruim tornara-se realidade.

Cena de "Premonição"

Esta sinopse corresponde ao filme “Premonição”, o primeiro da série, lançado em meados do ano 2000. É uma trama de suspense com terror envolvendo jovens que fogem de algum “monstro invisível”. Entretanto, o assunto principal que compõe a história já não é mais ficção e assombra a comunidade científica: é a Premonição, que geralmente ocorre por meio de sonhos, o canal para o inconsciente. Como seria possível explicar racionalmente o fato de antever o futuro?

                 Uma rápida pincelada sobre o ato de sonhar

Há anos cientistas estudam o comportamento humano durante o sono, inclusive as manifestações do subconsciente, ou melhor, os sonhos. Até os dias de hoje, sonhar é algo que muitos encaram como um verdadeiro mistério. Por que o Ser Humano sonha? Como isso ocorre? Para estas e outras perguntas, foram desenvolvidas algumas teorias, muitas foram refutadas ao longo das décadas e outras foram mais aperfeiçoadas, tornando-se aceitas por pesquisadores. Uma delas foi estudada pelo psicanalista mais popular do século XX, Sigmund Freud. Ele acreditava que qualquer sonho representava os desejos sexuais reprimidos de uma pessoa. Mesmo que aparecesse por formas simbólicas, ou seja, um simples lápis, por exemplo, na verdade significaria algo a mais e não somente um material escolar.

Sigmund Freud (1856-1939)

Para muitos outros especialistas, o sonho seria o resultado das experiências obtidas durante o dia, ou se fosse algo recorrente, como um pesadelo, poderia ser devido a algum trauma que o indivíduo sofreu ao longo da vida. Sonhar, na visão de alguns, é então um reflexo das nossas memórias, como se todas as noites rodasse um filme sobre a história de cada um, em que o subconsciente selecionaria os fatos mais importantes e os exibisse nas cenas.

Mas, o que dizer em relação a certos sonhos que após um tempo, tornaram-se fatos reais?

Essas “visões” não se enquadram em nenhuma das hipóteses levantadas por pesquisadores. Para muitos, ignorar é o remédio para evitar confusões em suas rotinas. Para outros, prever o futuro é algo que se refere à astrólogos, tarólogos ou simplesmente é bruxaria. Porém, depois de muitas evidências concretas, alguns cientistas já consideram que este “sexto sentido” pode ocorrer com qualquer um, de fato. É algo concreto e pode-se dizer comprovado.

Um dos mais renomados psicólogos dos Estados Unidos, Daryl J. Bem, causou surpresa em muitos cientistas com sua pesquisa publicada no jornal da Associação Americana de Psicologia. Para ele, ter estas percepções extrassensoriais é algo que faz parte do processo da evolução humana. Até mesmo na Universidade de São Paulo (USP), foram realizadas pesquisas em que 71,5% dos participantes relataram ter tido visões pelos seus sonhos. Algo realmente curioso.

Um dos casos mais famosos de premonição aconteceu com o ex-presidente dos Estados Unidos, o Abraham Lincoln, que sonhou com a sua morte e até mesmo com seu enterro e, relatou à sua esposa e ao seu guarda-costas, poucas horas antes da visão concretizar-se.

Admitir que premonições existem é o mesmo que dizer que o Destino existe, ou algo muito parecido com isso. É ao mesmo tempo assustador e fantástico. Não seria somente algo corriqueiro na vida de cada um. Não se pode dizer que é normal sonhar, por exemplo, com o nascimento de uma criança em sua família e, logo depois, o fato se consome.

Será possível que o Universo se comunica com os seus habitantes? Será que há uma ligação com cada ser vivo deste planeta? As vidas teriam mesmo caminhos escritos nas estrelas, como já diziam muitas canções? Isso envolve mais do que algo pertencente a um processo evolutivo ou descartável a ponto de ser ignorado…

Às vezes, é bom seguir o velho conselho das mães ou o que se passa em muitos filmes da Disney: sempre acreditar nos sonhos…

Fontes:

Obriger, Lee Ann. Como funcionam os sonhos. Acesso em: 29/12/2011. Disponível em: <http://ciencia.hsw.uol.com.br/sonhos.htm>;

Rubin, Débora. A premonição sob a luz da ciência. Atualizado em 30/12/2011. Acesso em: 29/12/2011. Disponível em: <http://www.istoe.com.br/reportagens/127023_A+PREMONICAO+SOB+A+LUZ+DA+CIENCIA>;

Anúncios

Hannibal está de volta

Deixe um comentário

“O Silêncio dos Inocentes” – (1991) – Há quem diga que, na cabeça da mariposa, na foto, há uma mensagem subliminar. Seriam mulheres nuas, representando as vítimas de Buffalo Bill, um dos assassinos da trama.

“Olá, Clarice…”. Aquele que ouve pela primeira vez esse cumprimento, sequer pode imaginar que tais palavras venham de um dos maiores e mais célebres assassinos em série da história do cinema: o enigmático e surpreendente Dr. Hannibal Lecter, interpretado pelo talentoso ator Anthony Hopkins. E para os amantes desse suspense, o ano de 2012 promete boas novas.

Todo fã (ou pelo menos uma boa parte deles) gostaria que seu filme ou livro predileto tivesse sempre “remakes” ou continuações, para não ter aquela temida sensação de abandono ao término da aventura (como a trilogia “O Senhor dos Anéis”, por exemplo).

Então, um estúdio francês chamado Gaumont, resolveu matar a saudade de muita gente e anunciou em Setembro deste ano, a criação de uma série baseada nos primeiros anos de Hannibal!

A rede de televisão NBC até comprou os direitos de exibir a história, que já possui um roteiro escrito por Bryan Fuller, o mesmo que criou a série “Pushing Daisies” e “Dead Like Me”. A emissora ainda deseja ver um episódio “piloto” antes de tudo, porém, Fuller já trabalha na criação dos primeiros capítulos da obra.

Clarice Starling e Hannibal Lecter “eclodiram”, por assim dizer, sua fama com o filme “Silêncio dos Inocentes”, dirigido por Jonathan Demme, em 1991. A trama baseou-se no livro homônimo de Thomas Harris, um jornalista que pesquisou sua personagem em arquivos policiais. O Dr. Lecter já havia aparecido no filme “Dragão Vermelho” (1986), no entanto, teve seu auge propriamente dito com a história estrelada por Anthony Hopkins, ao lado da brilhante Jodie Foster, que encarnou a detetive Starling.

  

Harris escreveu uma série de obras que logo depois de freqüentarem as prateleiras de livrarias, transferiram-se para as aconchegantes salas de cinema. Tudo começou com “Domingo Negro”, uma história sobre um grupo terrorista (sem o famoso canibal dessa vez) e logo depois viria “Dragão Vermelho”, que foi o início da saga do psiquiatra forense Hannibal Lecter.

Essa trama foi adaptada para as grandes telas pela primeira vez em 1986, com Willian Pettersen, (famoso pela série C.S.I), no elenco. Em 2002, uma nova versão foi feita, dessa vez com Hopkins no papel que lhe consagrou, atuando como Lecter e Edward Norton encenando Will Graham.

Will Graham (Edward Norton) e Dr. Lecter (Anthony Hopkins), cena de “Dragão Vermelho” (2002)

Em 2001, Ridley Scott comandou a continuação de “Silêncio dos Inocentes”, em “Hannibal”. Entretanto, esta produção não obteve o mesmo êxito que a anterior, porque muitos consideraram que era demasiadamente violenta, algo que para muitos, fazia perder a magia inicial.

“Silêncio dos Inocentes”, o filme, foi o longa da série que mais repercutiu e glorificou a lenda do Dr. Lecter. Foi uma das únicas produções dessa era “Hollywoodiana” que recebeu os cinco principais prêmios do Oscar: Melhor Roteiro Adaptado; Melhor Direção; Melhor Ator e Atriz e o mais cobiçado de todos, o de Melhor Filme.

Simplesmente, o livro e o filme são sensacionais. A atuação de Hopkins transmite algo que só um gênio poderia ser capaz de fazer. O filme não decepciona para quem leu o livro primeiramente, como acontece em muitos casos. Pelo contrário. É admirável a forma que conseguiram adaptar este suspense para o difícil mundo do cinema.

Os amantes de Will Graham, Clarice Starling e Hannibal Lecter, esperam ansiosamente para ver o resultado dessa tão aguardada série, que se inspirará em trechos do primeiro livro da saga, o “Dragão Vermelho”.

 

 

 

 Fontes:

Acesso em: 14/12/2011. Disponível em: <http://www.adorocinema.com/filmes/silencio-dos-inocentes/>;

Acesso em: 14/12/2011. Disponível em: <http://www.cineclick.com.br/filmes/ficha/nomefilme/hannibal/id/8490>

Acesso em: 14/12/2011. Disponível em: <http://www.cineplayers.com/premiacao.php?tp=1&id=14>;

Arroyo, Caio. Serial Killer Hannibal Lecter vai ganhar série de TV. Atualizado Em: 13/09/2011. Acesso em: 13/12/2011. Disponível em: <http://pipocamoderna.com.br/serial-killer-hannibal-lecter-vai-ganhar-uma-serie-de-tv/>;

Hugo. Dragão Vermelho 1986 e 2002. Atualizado em 04/11/2008. Acesso em: 14/12/2011. Disponível em: <http://cinema-filmeseseriados.blogspot.com/2008/11/drago-vermelho-1986-e-2002.html>;

Quintans, Filipe. Thomas Harris, o fiel criador do “Canibal”. Atualizado em: 18/04/2007. Acesso em: 14/12/2011. Disponível em: <http://almanaquevirtual.uol.com.br/ler.php?id=7592&tipo=23&tipo2=almanaque&cot=1>;

Meneses, Sérgio. O Silêncio dos Inocentes. Atualizado em 23/02/2011. Acesso em: 14/12/2011. Disponível em: <http://alemdoordinario.blogspot.com/2011/02/o-silencio-dos-inocentes-o-silencio-dos.html>

Torres, Leonardo. Série Hannibal, inspirada no serial killer de Silêncio dos Inocentes, já tem canal. Atualizado em: 09/11/2011. Acesso em: 13/12/2011. Disponível em: <http://pipocamoderna.com.br/serie-hannibal-inspirada-no-serial-killer-de-silencio-dos-inocentes-ja-tem-canal/>.