Uma Thurman, interpretando “Mia Wallace” em Pulp Fiction

Sempre que ouço notícias de Tarantino, um tango parece circular pelo ambiente. Tango, Rockabilly, hits dos anos 60 e 70, entre outros gêneros musicais pouco populares, porém, com qualidade e marcantes, o que torna inconfundível a passagem do aclamado diretor pelos seus filmes. “Misirlou”, de 1962, na versão de Dick Dale e sua banda The Del-Tones, além de “Girl You’ll Be A Woman” desta vez tocada por Urge Overkiill, ambas tornaram-se mundialmente conhecidas (e eternizadas) após surgir em “Pulp Fiction”. Devido a fatores como esse, muitas “más línguas” dizem que este americano cria suas histórias baseando-se nos diversos estilos musicais, pelo fato das canções encaixarem-se de forma harmoniosa com as cenas. O que, ao meu ver, só torna o diretor ainda mais fantástico.

De fato, em uma das cenas de “Cães de Aluguel” (1992), na qual um policial tem sua orelha cortada ao som de “Stuck In A Middle Of You”, dos Stealers Wheel, ficou simplesmente perfeita – e macabra. Talvez, Tarantino escutou e apreciou “Don’t Let Me Be Misunderstood” – canção de Nina Simone, mas que embalou os corações brasileiros nos ritmos da banda latina Santa Esmeralda (a música ecoou na novela “Explode Coração”), em que assumiu a forma de um caliente tango – e ficou inspirado para produzir a briga de espadas entre a “Noiva” (Uma Thurman) e O-Ren Ishii (Lucy Liu), em “Kill Bill – Volume I”.No próximo Natal, exatamente em 25 de dezembro, outra obra de Tarantino é apresentada ao público. “Django Livre”, com Jammie Fox, Leonardo DiCaprio e ninguém mais, ninguém menos do que Samuel L. Jackson, entre outros. É como se o praticamente autodidata Tarantino, tivesse reunido outra vez estrelas para formar uma nova constelação (como fez em “Pulp Fiction”, com John Travolta, Samuel L. Jackson e Uma Thurman).

A história se passa nos Estados Unidos, no sul do país, em um estilo “a lá faroeste”. Django (Foxx) é um escravo que repentinamente se vê unido a um caçador de recompensas (Christoph Waltz), em que juntos, passam a caçar criminosos pela região, além de Django buscar pelas pistas de sua esposa, que foi sequestrada por Calvin Candie (DiCaprio).

O ator Will Smith foi cogitado para encarnar “Django”, mas por questões de tempo e outros trabalhos, hesitou em aceitar a proposta. Ver o eterno “Um Maluco No Pedaço” seria uma outra jogada de mestre, porque teria um toque diferente, peculiar.

O filme estreia em 18 de janeiro de 2013 nas telas brasileiras.

Um pouco de Quentin Tarantino

Famoso por suas trilhas sonoras arrepiantes (sem exageros) e por suas histórias salpicadas de sangue e humor negro, Tarantino nasceu em 1963 e antes de emigrar para a carreira cinematográfica, foi gerente de uma videolocadora. Fez seu primeiro filme em 1992 (Cães de Aluguel) e dois anos depois lançou o filme que o consagraria na lista de indicados ao Oscar, como melhor diretor: Pulp Fiction – Tempos de Violência.

O diretor excêntrico mais conhecido como Quentin Tarantino

“Bastardos Inglórios”, com Brad Pitt (2009) e “Django Livre” estão entre as mais recentes produções.

Fontes:

http://www.adorocinema.com/personalidades/personalidade-15570/

http://atarde.uol.com.br/cultura/noticia.jsf?id=5846187&t=Divulgado+trailer+de++Django+Livre%60+com+DiCaprio

http://www1.folha.uol.com.br/ilustrada/1104159-novo-trailer-de-django-livre-de-tarantino-e-divulgado-veja.shtml

http://mais.uol.com.br/view/webeg8jzjhsh/django-livre–trailer-1-legendado-04024C993466D8C12326?types=A&

http://whiplash.net/materias/curiosidades/106490-dickdale.html

Anúncios